arquivo > Dezembro de 1967

Lisboa, Pessoa e Companhia Lda

Paráfrase a um desenho de Pomar (aguarela e tinta da china, JR 2014)

O segundo título do "fundo" bibliográfico de JR é o Traité de savoir-vivre à l'usage des jeunes générations, de Raoul Vaneigem, recentemente reeditado, numa notável tradução para o Português de José Carlos Marques, pela Letra Livre. Temo que não seja uma obra ortodoxa no sentido neo-realista do termo, mas basta ler a advertència do tradutor para a constante utilização, em vez de sobrevivência, do neologismo sob(re)vida na tradução da palavra francesa survie para percebermos toda a incomodidade que pode existir neste guião de vida, Gostava de voltar a pichar (leia-se agora grafitar) numa parede de Lisboa, alguma frase maldita que ainda conserve numa memória de quase meio século.