arquivo > Janeiro de 2018

Edifícios que são verdadeiros faróis

O terminal de Cruzeiros visto do Beijo Bar, em Matosinhos (pormenor de aguarela JR/2018)

A Mesquita Hassan II, um dos templos mais altos do Mundo, mesquita construída na cidade costeira de Casablanca, é edificação visível e identificável de muito longe para quem se aproxime da cidade vindo pelo mar. Quero acreditar que o Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, embora de menor volumetria, também será reconhecido de longe por quem se aproxime da costa continental portuguesa em direcção ao Porto ou a Matosinhos. Este edifício, projectado pelo arquitecto Luís Pedro Silva, faz-me lembrar uma obra de um outro grande arquitecto, Frank Lloyd Wright -  o Museu Guggenheim de Nova Iorque que apenas vi uma vez e do lado de fora. O suficiente para o guardar na minha memória.

Entrar no Ano Novo em trajes menores

Vestido a rigor (pormenor). Acrílico sobre verso de tela 2011 / Júlio Roldão

Assistir ao Concerto de Ano Novo que a Eurovisão transmite no primeiro dia do ano é já um clássico. No meu caso em trajes menores, de roupão, reclinado no sofá onde vejo televisão, a debicar doces que sobraram da mesa do reveillon e conferindo, no facebook, mensagens de amigos e outros emails, coisa impossível de fazer na Sala Dourada do "Musikverein" de Viena, onde decorre o concerto. Já confessei ter o secreto e sonhado desejo de dirigir uma orquestra filarmónica, sonho vivido muitas vezes, também em trajes menores, frente a espelhos, mas nunca inclui este desejo na lista dos desejos do novo ano. Onde figura o desejo de ser retratado pela Annie Leibovitz do jeito que ela fotografou Keith Haring (no meu caso forrado a páginas de jornais) e o desejo de ir até Moscovo de comboio para aí apanhar o Grande Transsiberiano e viajar até Pequim.