arquivo > Outubro de 2018

No mar da minha inexistência

Jardins do Palácio / JR

Nem quero pensar // que estou a chegar a velho. // Não vou lá chegar. // // Hoje, perco tudo // - a chave da minha casa // e todas as âncoras. // // Sem ter rendimentos, // no mar da inexistência // escolho à deriva.

Júlio Roldão

02.Outubro.2018