arquivo > Outubro de 2015

Um momento político de rara beleza

Memória dos "níveas", os carochas da polícia

O momento político que Portugal está a viver é raro, belo e tem como atrativo muito especial a posibilidade de podermos assistir, em direto e a cores, ao súbito desaparecimento da maquilhagem de alguns dos protagonistas da nossa vida pública - basta que deixem estalar um verniz menos consistente ou que percam uma camada de uma falsa pátina, duas situações agora muito comuns. A possibilidade da existência de uma maioria parlamentar sem o contributo da coligação PAF está a perturbar muito boa gente e a fazer com que alguns não consigam conter-se e insistam na ideia da exclusão dos partidos à esquerda do PS, mesmo que estes, aliados ao PS, sejam mais do que suficientes para garantir um apoio maoritário no Parlamento. Isto é novo, é estimulante para quem gosta de Política, mas também é perigoso.

Um relógio parado em S. Bento

Estação ferroviária de S. Bento, Porto

Em homenagem ao meu pai, que foi relojoeiro na CP e que terá afinado os relógios do interior da portuense Estação de S.Bento, joia do património arquitectónico português escolhida, há dias, para ser captada nos riscos de urban sketchers portugueses que aderiram às Jornadas Europeias do Património, deixo neste espaço um pormenor do desenho que esquissei nessa jornada, sublinhando que os dois relógios apanhados marcam horas diferentes - mau presságio, ou talvez não,  para o momento de mudança da hora que o país espera, nestes dias mais próximos.